domingo, 4 de janeiro de 2009

História do Tai Chi Chuan segundo a família Chen


Como todos os estilos vieram do estilo da família Chen fui pesquisar como eles contam a origem do Tai Chi Chuan. Encontrei num site esta explicação bem interessante que resumi e traduzi:

Muitas pessoas são fascinadas com a lenda mística do monge taoísta Zhang Sanfeng que teria inventado o Tai Chi Chuan, ao sonhar ou observar uma luta entre uma serpente e uma garça na Montanha Wudang. Embora haja implicações históricas e vários fatores circunstanciais envolvidos na popularidade desta lenda, é parte da natureza humana apreciar e acreditar em lendas. As pessoas sempre apreciam passar este tipo de lenda às gerações futuras como, por exemplo, as lendas do rei Arthur e de Robin Hood.

Após anos de pesquisa e estudo de originais históricos, por praticantes e por estudiosos do Tai Chi, sabe-se que a maioria dos estilos principais de Tai Chi Chuan praticados atualmente (por exemplo, Chen, Yang, Sun, Wu como em Wu Yuxiang (1812-1880), e Wu como em Wu Jianquan (1870-1942)) foram todos derivados, direta ou indiretamente, da família Chen. Suas origens podem ser seguidas para trás até uma vila pequena situada em Henan, China, com o nome de Chenjiagou, literalmente, vala ou trincheira da família Chen.

Chen Wangting (1600-1680), um guerreiro e estudioso, da nona geração da família Chen, é considerado (por esta família) o criador do Tai Chi Chuan, o que teria feito após uma vida de pesquisa e desenvolvimento, e com muita experiência em artes marciais. Nascido guerreiro e mestre em artes marciais, Chen Wangting serviu a Dinastia Ming em sua guerra contra a Dinastia Qing que a sucedeu. Por causa da turbulência política, dos desastres naturais, e das calamidades durante seu tempo, sua ambição não foi cumprida. Na velhice aposentou-se da vida pública e teria criado este sistema de artes marciais baseado na sua herança familiar, em suas próprias experiências da guerra, e em seu conhecimento de vários estilos das artes marciais contemporâneas.

Em sua criação do Tai Chi Chuan ele combinou o estudo do Yi Jing, (isto é, “Livro ou Cânon das mudanças”), medicina chinesa, teorias do yin e do yang (as duas energias opostas e recíprocas geradas no Tai Chi, expressas como o suave versus o duro, o substancial contra o insubstancial, etc.), os cinco elementos (isto é, metal, madeira, água, fogo, terra), o estudo e a teoria de Jingluo (isto é, os meridianos da circulação ao longo dos quais os pontos da acupuntura são situados), e os métodos de Daoyin (isto é, canalizar e conduzir a energia interna principal) e de Tu Na (isto é, exercícios de respiração profundos).

Um poema escrito por Chen Wangting em sua velhice evidenciou o significado dos métodos taoístas de cultivar a energia e o corpo na vida reclusa de Chen Wangting: “… Em certa época gozei dos favores e graça imperiais, mas foi tudo em vão, e agora velho e fraco, tenho ao meu lado somente um pergaminho do “Huang Ting” (isto é, um Cânon Taoísta que detalha métodos de Daoyin e de TuNa) …”.

Além destas teorias internas chinesas antigas, da medicina, e dos métodos taoístas, estudiosos (por exemplo, Hao Tang, Liuxin Gu) descobriram também que a arte marcial criada por Chen Wangting continha 29 nomes das 32 posturas mencionadas no Quan Jing Jie Yao(Capítulo Explicado do Box Rápido, Rolo 14) de Qi Jiguang em Ji Xiao Xin Shu (Novo Livro Ilustrado de Anotações sobre Eficácia).

Além desta conexão no Gadi de mão nua todos os nomes dos movimentos do Gadi de Lança Longa mencionados no pergaminho Chang Bing Duan Yong (Conversa sobre o Uso de Armas Longas em Contato Próximo, Rolo 10), do mesmo livro citado acima, foram completamente incorporados nos nomes dos movimentos do Gadi de Lança da família Chen.

Conseqüentemente, teorias populares a respeito da origem do Tai Chi Chuan - algumas fabricadas para finalidades políticas ou de interesse próprio, como por exemplo, a lenda de Zhang Sanfeng (Vide nota 1 abaixo), a teoria de Wang Zongyue (cujo Tai Chi Chuan Lun, isto é, a teoria de Tai Chi Chuan, é citada freqüentemente como um dos clássicos no estudo de Tai Chi Chuan), a Teoria de Jiang Fa (Vide nota 2 abaixo), etc., têm sido refutadas seja por falta de fundamento histórico, ou por contradições cronológicas com conhecidos fatos históricos.

Assim os estudiosos têm concluído que Chen Wangting teria sido quem criou e desenvolveu esta luta nova com movimentos, posturas e aplicações ajustados ao seu próprio sistema de arte marcial, possivelmente inspirado nos nomes do livro de Qi Jiguang, que era por sua vez um registro geral dos nomes, seqüências, e posturas de muitas escolas de artes marciais do seu tempo (Tang, H. & Gu, L., 2004).

Neste sistema de arte marcial original e sem precedentes, Chen Wangting criou e inventou sete conjuntos de movimentos no Gadi de mão vazia, um Gadi longo com cento e oito movimentos, um Paochui (isto é, Cânon de luta), técnica de Toi Sau para duas pessoas, e métodos de treinamento para lança, sabre, espada, bastão, esgrima, etc. (Gu, L., 1983; Chen, Q., 2002).

Chen Changxing (1771-1853), o patriarca da 14a geração Chen, foi o primeiro a ensinar Tai Chi Chuan para alguém de fora da família. Ele ensinou Yang Luchan (1799-1872).
Este recebeu o ensinamento da arte marcial da família Chen após prometer nunca ensiná-lo ao público nem usar seu nome. Mais tarde viajou para Beijing onde ficou conhecido como Yang, o invencível. Fiel ao seu juramento Yang formulou seu próprio Gadi de Tai Chi Chuan baseado no primeiro Gadi da família Chen (Lao Jia Yi Lu) e se tornou o fundador do estilo Yang.

Outra razão possível para Yang ter formulado seu próprio estilo pode ter sido pelo fato de que naquele período a família Yang era empregada pelos Manchus da Dinastia Qing na pratica e ensino da Arte da Guerra. Como os Manchus eram considerados como poder opressor estrangeiro pela maioria (i.e., os Han), provavelmente a familia Yang decidiu ensinar os Manchus somente o Gadi, mas não os métodos e suas aplicações em luta.

Os Manchus foram ensinados a serem suaves como o algodão de tal forma a não usarem o Tai Chi Chuan para atacar ou matar. Por outro lado membros diretos da família Yang e discípulos próximos teriam sido ensinados secretamente sobre ambos os aspectos, o suave e o duro.

Mesmo assim esta forma suave de Tai Chi Chuan começou a ganhar popularidade e gradualmente o Tai Chi foi reconhecido e associado a esta forma suave enquanto as pessoas na Vila Chen continuavam praticando tanto a forma suave como a forma dura (N do T: com solto dentro do duro). Também é incerto quando o nome Tai Chi Chuan foi dado a este tipo de arte marcial chinesa.

É bem provável que não havia este nome quando Chen Wangting desenvolveu inicialmente este sistema de arte marcial, pois ele queria passá-lo para os seus descendentes. Era comum uma família chinesa desenvolver seu próprio estilo de arte marcial, que então se tornava conhecida como o estilo daquela família.

Chen Wangting não sabia que a sua criação se tornaria um dia um dos exercícios para saúde mais populares no mundo. O nome Tai Chi Chuan foi possivelmente dado a posteriori porque foi criado com base nos princípios e teoria do Tai Chi - yin e yang alcançando o máximo equilíbrio e se regenerando mutuamente.
Os 5 estilos principais que existem hoje evoluíram e se desenvolveram com variações individuais e transformações da arte original criada por
Chen Wangting (Gu Liuxin, 1983; Chen Qingzhou, 2002).

Fonte: http://www.chenfamilytaiji.com/

Nota 1: Segundo essa tradição o Tai Chi Chuan se desenvolveu no 12º século durante a Dinastia Song. O Imperador Huizong (1101-1126) teria chamado um monge taoísta para a capital de Kaifeng. Zhang Sanfeng teria recebido essa intimação imperial para viajar desde a Montanha Wudang. Atacado em sua viagem por um grupo de assaltantes foi forçado a recuar. Durante seu descanso teria sido visitado pelos espíritos da Montanha Wudang e dos quais teria recebido a inspiração para uma nova forma de arte marcial. No dia seguinte Zhang Sanfeng usou as suas habilidades recebidas para derrotar 100 bandidos.

A segunda lenda atribui ao mesmo Zhang Sanfeng viver na Dinastia Yuan (1279-1368). Nesta história, ao estudar os mistérios de Taoísmo e ao tentar captar seus segredos de imortalidade, observou a postura de numerosos animais. Um dia ele teria visto uma serpente e uma garça lutarem, e se inspirado pelas qualidades do Yin e do Yang de seus ataques e retiradas para desenvolver a arte de Tai Chi Chuan.

Assim se credita a Zhang Sanfeng reestruturar as artes marciais. Como um monge taoísta, conecta a arte com a filosofia do Yin e Yang, o I Ching e seus diagramas de Paqua. A conexão entre o Tai Chi Chuan, Lao Tzu, e o Tao Te Ching é implícita na lenda de Zhang Sanfeng.

A Montanha Wudang é notável por sua beleza cênica e foi um centro de Taoísmo desde o 7º século. De acordo com os registros históricos preservados na montanha, houve duas pessoas nomeadas Zhang Sanfeng citados no Guia das Artes Marciais Chinesas, de Li Tianji e Du Xilian, houve um Zhang Sanfeng que era renomado por suas habilidades de combate e viveu na Dinastia Song (960-1279). O outro, era um taoísta famoso, perito em esgrima e teria vivido durante a Dinastia Ming (1368-1644).


Nota 2: Os autores Tang Hao e Xu Zhen aceitam Wang Zongyue 王宗嶽 como uma figura histórica que era do reinado Qianlong (1736-1795) da Dinastia Qing, e professor ativo entre 1791-1795 nas áreas de Luoyang 洛陽 e Kaifeng 開封. Jiang Fa teria sido seu aluno.
Fonte http://www.literati-tradition.com/zhang_sanfeng_camp.html

Um comentário:

  1. Perfeita explicação para uma riqueza em matéria de arte marcial!!!

    ResponderExcluir